Minha Fábrica Verde de Alimentação Natural

Hoje vamos abordar um assunto muito legal. Vamos te dar um ideia de como funciona uma fábrica de alimentos! Mas não é uma fábrica qualquer. Vamos falar sobre uma fábrica que produz alimentos úmidos como comidas enlatadas, alimentações congeladas, o mesmo formato necessário para montar uma fábrica de alimentações naturais úmidas para Pets.

Uma fábrica de alimentos úmidos que usa ingredientes naturais como vegetais e carnes funciona de uma maneira padrão. Algumas fábricas podem precisar de particularidades adicionais, mas em geral o dia a dia da cadeia produtiva é bem similar. Você precisa fazer com que os alimentos que você recebe como matéria prima sejam transformados no fim da cadeia em produtos alimentícios embalados, seguros e saudáveis.

Veja abaixo todo processo produtivo em 6 etapas:

1 - Recebimento e armazenamento da matéria-prima

Nesta etapa uma fábrica deve ter um formato eficiente para receber as carnes, legumes, frutas e demais ingredientes que compõem as principais receitas de sua produção.


1.1. Recebimento - O alimento é recebido direto do caminhão ou veículo do distribuidor e trazido para dentro da fábrica.


1.2. Verificação da condição do alimento - Um profissional responsável deve fazer uma avaliação imediata do estado dos alimentos. São observadas características como: cor, textura e cheiro de todos os alimentos recebidos. Um termômetro é usado para medir a temperatura das carnes para certificar que o transporte foi bem refrigerado.


1.3. Armazenamento - As carnes, verduras e demais alimentos perecíveis são armazenados na câmara fria. Legumes e frutas não tão perecíveis são armazenados no depósito. Numa fábrica se faz conta de cada centavo gasto com energia.

Nesta etapa também são recebidas as embalagens que serão utilizadas no processo. Podem ser latas, embalagens plásticas, vidros. Elas são recebidas, higienizadas e estocadas num espaço séptico apropriado.

Nesta etapa é importante o controle de logística para receber os alimentos no dia correto e armazenar de forma eficiente nas câmaras e depósitos que a fábrica possui. Se uma fábrica armazenar desproporcionalmente os ingredientes ou se os alimentos não estiverem sempre disponíveis no horário correto, toda a produção pode ser comprometida.

2 - Seleção, Lavagem dos Alimentos, Processamento e Pesagem


2.1. Seleção - Os alimentos são selecionados manualmente ou por máquinas. Os alimentos que não aparentam um bom estado, são descartados.


2.2. Lavagem - Após a seleção, todos os legumes, frutas e verduras são lavados e alguns deles descascados. A lavagem pode ser manual ou com auxílio de máquina. Há máquinas por exemplo que lavam, descascam e cortam batatas, cenouras e outros legumes mais duros.


2.3. Processamento - Depois de lavar e descascar os alimentos, os alimentos são processados, o que nada mais é do que cortá-los e picá-los. Cada alimento é processado em máquina capaz de cortar no tamanho desejado. As carnes normalmente já chegam moídas ou cortadas.


2.4. Formulação - Cada tipo de alimento e ingrediente é pesado a fim de se preparar a proporção correta para a fase de produção. Cada tipo de alimento após pesado, fica separado em recipientes plásticos. Se algum alimento sobrar, ele será reservado novamente na câmara fria.

3 - Cozimento (Produção)

As pailas, como são chamadas, são grandes “panelas” nas quais os alimentos são misturados e cozidos. Elas também podem ter nomes mais técnicos como reatores de mistura. O processo de mistura e cozimento dos ingredientes depende de cada fábrica, todavia aqui estão alguns passos que podem ser comuns durante o cozimento:


3.1. São colocadas as carnes, depois é acrescida água quente
3.2. São colocados os temperos
3.3. São colocados os vegetais mais duros, depois é acrescida água quente
3.4. São colocados os vegetais macios
3.5. São colocadas as verduras
3.6. São colocados óleos e suplementos

A água acrescentada poder ser quente ou fria, dependendo do sistema de geração de calor na fábrica. Ideal que seja quente. As pailas podem possuir misturadores que servem para manter a mistura agitada e evitar que ela grude.

4 - Envase

Envase é o processo de colocar o alimento produzido em embalagens como latas, sacos, recipientes plásticos, recipientes de vidro e etc. Assim que a mistura dentro das pailas atingir a temperatura e cozimento desejado, a mistura é mandada para envase ainda quente.

Geralmente o processo é automatizado. Tubulações ligam diretamente o alimento produzido na Paila para que seja despejado uniformemente no tipo correto de embalagem de forma serializada.

Cada embalagem terá uma técnica de envase

5 - Tratamento Térmico

Após o envase os produtos podem ser mandados para tratamento térmico. Para Alimentação úmida geralmente se usa um dos dois processos de tratamento térmico: Autoclavagem ou Congelamento.

A autoclavagem é processo de esterilização que consiste em aplicar uma alta temperatura no exterior de uma embalagem fechada eliminando assim possíveis microorganismos patógenos no conteúdo da embalagem. As máquinas utilizadas neste processo se chamam autoclaves. É possível ter um alimento natural cozido, com um ótimo tempo de validade, sem necessidade de congelar usando o processo de autoclavagem. As embalagens depois de autoclavadas são enviadas para estoques simples na fábrica.

Uma outra alternativa seria o congelamento. Neste caso as embalagens são enviadas diretamente para câmaras de congelamento sem passar pela esterilização. Há uma grande desvantagem logística de produtos congelados, uma vez que você tem que estocá-lo congelado, tem que transportá-lo congelado, tem que vendê-lo congelado e o cliente tem que mantê-lo congelado até o consumo. A vantagem está na preservação de nutrientes, muito mais eficiente em um processo de congelamento do que em uma autoclavagem.

6 - Estoque e Expedição

Depois do tratamento térmico os alimentos são enviados para estoque - seja ele simples ou baseado em uma câmara fria.

As embalagens quando saem de uma autoclave estarão molhadas. A autoclave usa água para aquecer. Então as embalagens são estocadas ainda molhadas em uma área mais arejada. Depois de secas elas são armazenadas em caixas de papelão para facilitar o transporte.

Em todo lote produzido a indústria deve recolher amostras de produtos do estoque para rastreamento do lote, para inspeções sanitárias e para o teste de qualidade. O teste qualidade avalia se o alimento daquele lote atende às expectativas nutricionais, se está seguro e livre de patógenos.

A expedição é feita dado as características do produto. Produtos congelados devem sair direto da câmara fria para um veículo transportador com refrigeração. Produtos autoclavados são mais fáceis. Basta organizar as caixas de papelão no veículo. Deve haver atenção necessária para não deformar embalagens destes produtos durante a expedição. Por exemplo, no caso de latas, não se pode amassá-las durante o transporte. Ao amassar uma lata você pode estar criando microfissuras invisíveis e contaminar o produto. O produto que duraria meses, ao ser amassado, passa a durar pouquíssimos dias.


Bem esse foi um passeio bem rápido e simples pelas etapas realizadas na produção de alimentos úmidos. Distribuir uma Alimentação Natural baseada em carnes e legumes parece simples, todavia, em uma produção de larga escala, exige vários procedimentos para garantia da qualidade e segurança do produto.


Andressa Gusmão, instrutora da PetLogia.

PetLogia - Ideal para seu negócio, ideal para seus pets.


comments powered by Disqus