Qual A Melhor Idade Para Castrar Seu Gato?

Muitos tutores ficam curiosos ou até mesmo preocupados com a cirurgia de castração. Sempre vem a vontade de saber como é feita a cirurgia, a idade ideal e quais os cuidados deve-se ter com o seu gato após o procedimento. Pensando nisto resolvi fazer um texto que aborda as principais dúvidas dos tutores sobre a castração.

Recomenda-se que a castração tanto em fêmeas como em machos seja feita a partir de 8 semanas de vida. A castração precoce garante mais longevidade para o gato além de reduzir riscos durante a cirurgia. A castração cirúrgica envolve a retirada do útero e ovários na fêmea e a dos testículos do macho.

Fêmeas

Nas fêmeas a castração normalmente é feita por uma incisão no abdômen onde o Médico Veterinário terá acesso ao útero e ovários. Trata-se de um procedimento cirúrgico frequente em clínicas veterinárias, mas não simples. É necessário muita experiência do médico veterinário para minimizar riscos como hemorragias, traumas em outros órgãos, infecções e ligaduras indevidas.

Machos

Nos machos o procedimento consiste na retirada dos testículos. Os tutores de gatos machos devem observar se os testículos do seu gatinho já desceram para a bolsa escrotal. Caso ainda não tenha descido a cirurgia deverá ser adiada.

Normalmente é realizado por um incisão na bolsa escrotal. Apesar de ser um procedimento relativamente mais simples do que nas gatas, também é passível de complicações como hemorragias, infecções e inchaço no local da cirurgia.

Cuidados após o procedimento

Após o procedimento é indicado que seu gatinho, fêmea ou macho, use roupinha cirúrgica ou Colar Elizabetano ( mais conhecido como cone cirúrgico), para se evitar lambeduras no local dos pontos ou na ferida cirúrgica. Muitos tutores são resistentes em colocá-los devido ao incômodo que eles provocam. Mas acredite, eles são realmente necessários. As escoriações e as lesões provocadas pelas lambeduras e mordidas facilitam a abertura dos pontos e infecções no local. Várias cirurgias precisam ser novamente realizadas devido a este descuido.

Após a castração é necessário que haja uma re-adequação da dieta. A retirada dos órgãos produtores de hormônios sexuais – no caso os testículos dos machos e os ovários na fêmea- reduz o metabolismo basal. A queda do metabolismo provoca mudanças no comportamento dos gatos que predispõe a obesidade. Estudos recentes mostram que os gatos castrados apresentam três vezes mais chances de serem obesos quando comparados com gatos não castrados.

A redução das atividades físicas provocados pela castração também pode aumentar o risco de infecções urinárias. Para evitar o ganho de peso e outros problemas de saúde é recomendado que os gatos recebam dietas com menor aporte calórico e de preferência que o alimento seja úmido. A dica que dou é escolher alimentos naturais adequados à fisiologia digestiva dos felinos. As rações secas mesmo para gatos castrados são ricas em carboidratos que podem fazer seu gatinho engordar. Elas são pobres em água agravando os problemas urinários.

Os gatos castrados também apresentam diferenças de comportamento. Normalmente após a cirurgia eles se tornam mais caseiros e menos brigões. A perda da libido devido a castração reduz os instintos por disputa de território e por parceiros sexuais. Dessa forma evita-se o envolvimento em brigas e feridas provocadas por arranhões e mordidas. A incidência de doenças como Fiv ( Imunodeficiência felina) e FELV( leucemia felina) é reduzida pois ambas são principalmente contraídas pelo contato mais próximo entre os gatos.

Benefícios da castração

A castração garante mais longevidade aos gatos, evita fugas e permite maior proximidade dos bichanos com seus tutores. Além disso evita-se o crescimento populacional de gatos errantes.

Nas fêmeas a cirurgia evita as infecções uterinas, a falsa gestação ( tecnicamente conhecida como pseudociese), as inflamações do canal vaginal e da vulva. Os riscos da gata desenvolver tumores mamários também são reduzidos.

Nos machos a cirurgia evita inflamações e tumores dos testículos e qualquer doença do aparelho reprodutor relacionada a atuação dos hormônios sexuais.

Como médica Veterinária recomendo a castração e a considero como um ato de amor ao seus amigos bichanos. As suas vantagens suplantam os seus efeitos indesejados. Tais efeitos podem ser minimizados com controle da dieta e acompanhamentos regulares com o médico veterinário. Trata-se de bem-estar e qualidade de vida.


Lígia Alfenas, instrutora da PetLogia.

PetLogia - Ideal para seu negócio, ideal para seus pets.


comments powered by Disqus