Saúde do cão idoso

Meu cãozinho idoso mais saudável

Você sabe quando um cão é considerado idoso?

É quando ele atinge em média 50% de sua expectativa de vida. Como esta expectativa está relacionada ao porte e raça do animal, às vezes é um pouco mais difícil definí-la com precisão. No geral cães chegam a fase sênior por volta dos 7 anos de vida.

A saúde do meu cão

Para dar mais saúde a um cão idoso é preciso investir em sua qualidade de vida. É importante evitar o estresse, estimulá-lo a fazer exercícios físicos e interagir mais com ele. As brincadeiras e as atividades rotineiras além de aproximarem os cães de tutores podem melhorar doenças de caráter neurodegenerativas.

Outro ponto importante para a saúde de um cão velhinho é a qualidade da alimentação. A comida é, sem dúvida, o fator mais importante para se evitar complicações associadas ao processo de envelhecimento.

Alimentação de um cão idoso

Energia- A energia da dieta de um cão idoso vai depender do seu nível de atividade. Existem cães idosos que ainda são bem ativos, correm, brincam e até se reproduzem. Para eles a energia deve ser a mesma de um cão adulto ou em período de reprodução, se for o caso. No geral, cães idosos tendem a ser obesos e sedentários, por isso é necessário controlar a quantidade de energia ingerida. Recomenda-se evitar os petiscos e biscoitos ricos em carboidratos que são fontes de calorias. Com isso, evita-se doenças associadas e agravadas na fase sênior como o diabetes, os problemas articulares e de coração.

Água- A água é importante para todas as fases de vida. No cão idoso ela ajuda a manter a saúde dos rins. Já que o cão idoso é mais propenso a desenvolver problemas renais que podem comprometer sua função.

Proteína- As proteínas precisam ser de boa qualidade e mais digestível, principalmente para evitar a perda da massa muscular, muito comum em cães com idade avançada. Se você tem dúvidas sobre os consumo de proteína em cães idosos temos um texto em nosso blog esclarecendo pontos importantes.

Nutrientes que retardam o processo de envelhecimento

Pelo próprio processo de envelhecimentos, os cães idosos possuem falhas no seu sistema de defesa. Isto significa que são mais vulneráveis a contrair infecções. A produção de radicais livres, pelos processos normais do organismo pioram o estado de saúde de um cão idoso, em especial os processos de envelhecimento cerebral. Portanto a alimentação de um cão idoso deve conter nutrientes que melhoram a imunidade e ajudam a eliminar os radicais livres produzidos.

A levedura de cerveja é um excelente alimento já que reforça as defesas do organismo, principalmente do sistema digestivo. Ela também é rica em vitaminas do complexo B que possuem atividade neuroprotetora.

Vitaminas antioxidantes- As vitaminas E e C são potentes antioxidantes e são recomendados em doses elevadas em cães idosos. São elas que ajudam a eliminar os radicais livres. A vitamina E é encontrada em alimentos como os ovos e os óleos. A vitamina C pode ser encontrada em várias frutas e vegetais como o brócolis. Ômega 3- O ácido graxo essencial, o ômega 3, é importante para melhorar os déficits de cognição do cão idoso. Esta é uma condição comportamental encontrada e está associada ao processo de envelhecimento. Os déficits cognitivos são caracterizados pela perda de interação do cão com seu tutor, comportamento compulsivos, perda de sono e desorientação. O ômega 3 também contribui para o bom funcionamento dos rins e atua como anti-inflamatório. Este nutriente é geralmente encontrado em óleos de peixe e de alguns vegetais como os os óleos de linhaça e chia.

Dicas importantes

Para você tutor que se preocupa com a saúde do seu cão idoso, aí vai outra dica muito importante. Cuide da boca do seu amigo velhinho. É muito comum cães idosos apresentarem mau cheiro na boca por causa do excesso de tártaro. O problema do tártaro vai muito além de forte odor que por vezes incomoda muito quem está perto. Este excesso de bactéria presente na boca do seu animal leva a processos inflamatórios crônicos muito prejudiciais a saúde dele. Além disso, as bactérias vão para o sangue e podem provocar doenças do coração, renais e do fígado. Na dúvida sobre o que fazer para tratamento dos dentes do seu cão consulte um Médico veterinário.

Gostou? Então não deixe de acompanhar nosso blog!

Lígia Alfenas, instrutora da PetLogia.

PetLogia - Ideal para seu negócio, ideal para seus pets.


comments powered by Disqus